Interrupção de chamada

Que tal ter uma viagem por um app de corridas com segurança, de forma tranquila, com motoristas treinados e que até abrem a porta para você? Bom, essa é ideia da Rhino, startup de mobilidade, que estreou na segunda-feira, 15, em bairros nobres da cidade de São Paulo.

O serviço vai contar apenas com carros de luxo, blindados, de frota própria ou alugados. Eles passam por higienização e revisão diariamente.

A plataforma promete de 5 a 7 minutos de espera para localizar carros disponíveis. O preço vai custar de duas até três vezes mais em relação ao concorrente mais caro do mercado.

Por enquanto, o app vai funcionar entre as regiões do Jardim Paulista, Vila Olímpia, Moema, Vila Nova Conceição, Itaim Bibi, Jardins e Pinheiros e com uma lista de espera.

“Se o cliente quiser pedir fora dessa área ele pode, mas nesse caso ele vai pagar pelo deslocamento do nosso veículo, da nossa área para ele”, explica Daniil Sergunin, CEO e cofundador da Rhino.

A empresa, no entanto, prevê expandir para quase toda a capital paulista (até o final do ano), Rio de Janeiro e Brasília. O objetivo é chegar ao final de 2024 com 40 vezes o tamanho da operação que possui hoje.

+ Uber: a multa de R$ 1 bilhão e o destino empresa no Brasil

CEO

Daniil Sergunin, CEO e cofundador da Rhino – Crédito: Divulgação

Sergunin explica que mora no Brasil há 3 anos. Ele é russo e estava na Suiça antes de vir para cá. O CEO diz que lá a população não precisa pensar em segurança, isso é básico.

“A realidade aqui é diferente e só há apenas algumas formas de se proteger em relação à violência que existe na cidade e uma delas é um veículo blindado.”

A startup

Fundada em outubro de 2023, a startup tem um time com 18 pessoas e recebeu mais de US$ 400 mil de investidores anjos, em suas primeiras semanas de funcionamento. Agora, ela prepara para iniciar a rodada de investimento seed.

Treinamento e base

A base funciona em uma casa alugada em São Paulo, onde fica a frota e são realizados os treinamentos, um dos diferenciais, segundo o CEO.

“O processo seletivo é fundamental para os nossos motoristas. Temos duas propostas de valor para o nosso cliente: segurança e conforto. Segurança com o veículo blindado em si e o motorista selecionado e treinado. Nosso time de RH entrevistou quase 200 pessoas”.

O CEO ressalta que o treinamento segue após a seleção, em que é abordado como se comportar com o cliente e como usar o aplicativo, para citar. Eles também passam por um psicólogo.

A Rhino iniciou sua atuação com 20 motoristas preparados, mas haverá uma expansão. Há mais de 3 mil motoristas na lista de espera para entrar na plataforma.

Após aprovado, ele tem várias opções de contrato de trabalho, sendo que Mei é uma delas.

O condutor trabalha 8 horas por dia e devolve o veículo na base. A Rhino promete um “salário” de R$ 4 mil e que pode chegar até R$ 8 mil, isso com incentivos, caso o profissional não tenha atrasos, boa avaliação e sem multas, por exemplo.

Interrupção de chamada Mapa do site