Interrupção de chamada

Por  Rafael Poci Déa

Peugeot 208 não foi Compra do Ano 2024 à toa: a arquitetura CMP garante uma experiência de condução prazerosa, com uma ótima calibração das suspensões e uma direção elétrica bastante rápida, além de uma inovadora – e magnífica – posição de dirigir. Venceu os rivais mesmo apenas com motores aspirados, mas, agora, aumenta a vantagem com a estreia do já famoso T200 turbo em três versões: Allure, Style e Griffe (R$ 99.990 a R$ 114.990).

Com este motor que já equipa Fiat Pulse e Fastback, sempre junto do câmbio continuamente variável com sete marchas simuladas, ele oferece 130 cv e 200 Nm (um ponto de destaque: desde as 1.750 rpm), que leva a respostas vigorosas ao acelerador.

Mas há um pouco de turbolag (atraso antes de o turbo “pegar”) e o desempenho é prejudicado por uma certa lentidão nas reações da transmissão, mesmo quando se opta por trocas sequenciais (alavanca).

+ Compra do ano 2024 – Hatch Compacto: Peugeot 208

Há dois modos de condução:
• o Eco prioriza a eficiência, com reações comedidas,

• o Sport libera todo o potencial do hatch compacto.

Não podemos falar em “esportivo” como na época do 208 GT com seu motor 1.6 turbinado de 173 cv, mas é um carro com bastante equilíbrio entre desempenho e eficiência. Nossas médias de consumo ficaram próximas das oficiais (dados do PBEV na ficha técnica ). São médias muito boas, ainda mais se considerarmos a aceleração de 0-100 km/h em 9 segundos e a máxima de 206 km/h.

(Pedro Bicudo)
O 208 inova na posição de dirigir, com um painel alto e a direção baixa. As rodas aro 17 da versão Style têm um desenho que é exclusivo

ajuste firme das suspensões mantém o 208 grudado no asfalto, mostrando uma leve tendência ao subesterço, e o conjunto não deixa a dianteira subir em arrancadas fortes, além de filtrar e absorver bem as irregularidades – mesmo com as rodas aro 17.

A chegada do motor T200, enfim, deu ainda mais brilho ao 208 – mas quem acha que o 1.6 aspirado dará adeus está enganado. Ainda é uma boa opção e, segundo a Peugeot, “tem muita lenha para queimar”. Não há previsão de sair de cena tão cedo. Talvez seja cautela pela experiência da Hyundai com a coexistência de HB20 1.6 e 1.0 turbo (embora lá a coisa tenha sido mais complicada)?

(Divulgação)

Peugeot 208 Style Turbo 200 CVT

Preço básico R$ 99.990
Carro avaliado R$ 109.990

Motor: três cilindros em linha 1.0, 12V, turbo, injeção direta, comando de válvulas com variação na admissão
Combustível: flex
Potência: 125 cv (g) e 130 cv a 5.750 rpm (e)
Torque: 200 Nm a 1.750 rpm (g/e)
Câmbio: continuamente variável (CVT), trocas sequenciais, sete marchas simuladas,
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: discos ventilados (d) e tambores (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,055 m (c), 1,960 m (l), 1,453 m (a)
Entre-eixos: 2,538 m
Pneus: 205/45 R17
Porta-malas: 265 litros
Peso: 1.177 kg
Tanque de combustível: 47 litros
0-100 km/h: 9s (g) e 9s2 (e)
Velocidade máxima: 206 km/h (e)
Consumo cidade: 12 km/l (g) e 8,3 km/l (e)
Consumo estrada: 13,6 km/l (g) e 9,8 km/l (e)
Nota do Inmetro: C*
Classificação na categoria: B (Compacto)

Interrupção de chamada Mapa do site