Interrupção de chamada

A fabricante americana Ford anunciou, nesta sexta-feira (19), uma redução da produção de sua caminhonete elétrica F-150 Lightning, a mais comercializada nos Estados Unidos, devido a vendas inferiores às previstas de veículos elétricos em todo o mundo.

O grupo de Dearborn (Michigan) explicou em um comunicado que pretende “alcançar um equilíbrio ótimo entre produção, crescimento das vendas e rentabilidade”.

Em outubro, a Ford reduziu os preços recomendados para esta categoria. O preço da versão básica, por exemplo, caiu quase 10.000 dólares (R$ 49.000), para 49.995 dólares (R$ 246.060).

“A Ford espera um crescimento contínuo das vendas de veículos elétricos a nível mundial em 2024, mas a um nível inferior ao previsto” inicialmente, acrescentou.

Como resultado, a produção de caminhonetes elétricas passará para apenas um turno diário a partir de 1º de abril e 1.400 pessoas serão transferidas para outros locais ou vão se aposentar, anunciou a empresa.

Segundo o grupo, as vendas da F-150 Lightning aumentaram 55% em 2023 (para 24.165 exemplares) e espera-se que continuem crescendo em 2024, mas a um ritmo inferior às previsões.

Outros fabricantes que previram essa mesma tendência revisaram alguns de seus projetos de automóveis elétricos.

Além do preço superior ao dos veículos com motor a combustão, os clientes parecem desanimados pela infraestrutura de recarga insuficiente e uma autonomia limitada.

A Casa Branca anunciou nesta sexta-feira pela manhã um novo pacote de 325 milhões de dólares (R$ 1,6 bilhão) dedicado, em parte, à multiplicação das estações de recarga públicas.

Também lembrou a existência de créditos fiscais para a aquisição de terminais por pessoas físicas e jurídicas em bairros desfavorecidos e áreas rurais.

O site especializado Edmunds acredita que a proporção de veículos elétricos nos Estados Unidos representará 8% de todas as vendas em 2024, frente a 6,9% em 2023.

A Ford anunciou nesta sexta a incorporação de um terceiro turno em sua planta de montagem de Wayne (Michigan) para aumentar a produção dos “populares” modelos SUV/4×4 à gasolina Bronco e Ranger, para fazer frente à demanda.

A decisão engloba 1.600 pessoas adicionais. A maioria (cerca de 900) são contratações líquidas e as 700 restantes serão transferidas da fábrica de montagem da F-150 Lightning.

Interrupção de chamada Mapa do site