Interrupção de chamada

Devido a greve da CPTM, Metrô e Sabesp que ocorrerá nessa terça-feira, 28, a SMT (Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito) e a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) suspenderam o rodízio municipal de veículos na cidade de São Paulo durante todo o dia.  

No entanto, continuam valendo normalmente as demais restrições: Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição ao Fretamento (ZMRF).

Seguem as proibições de circulação de veículos nas faixas e corredores de ônibus, conforme a sinalização. As vagas rotativas de Zona Azul permanecerão funcionando normalmente.

Como funciona o rodízio?

No rodízio municipal, os veículos ficam impedidos de circular pelas marginais Tietê e Pinheiros, avenidas dos Bandeirantes e Afonso D´Escragnole Taunay, Complexo Viário Maria Maluf, avenidas Tancredo Neves e Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo e avenidas Professor Luís Inácio de Anhaia Melo e Salim Farah Maluf.

A tabela funciona da seguinte forma: durante as segundas não podem circular automóveis com finais de placa 1 e 2. Já nas terças, 3 e 4. Nas quartas, são 5 e 6; nas quintas, 7 e 8; e nas sextas, 9 e 0. Isso nos períodos da manhã, das 7h às 10h, e da tarde, das 17h às 20h.

Transitar em locais e horários não permitidos pela regulamentação prevista implica em infração de trânsito de nível médio, o que resulta em multa no valor de R$ 130,16 e acréscimo de 4 pontos no prontuário do motorista.

Funcionamento dos Transportes

De acordo com a Secretaria dos Transportes Metropolitanos do governo do Estado de São Paulo, os serviços concedidos de metrô, nas Linhas 4-Amarela e 5-Lilás, e de trens, nas Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, estarão funcionando normalmente durante a paralisação.

Ônibus

Os ônibus municipais e intermunicipais circulam normalmente nesta terça-feira, 28. Além disso, “haverá um esquema especial para manter a frota total durante todo o dia a fim de minimizar os transtornos causados à população”.

A EMTU promete intensificar a operação em mais de 30 linhas em pontos estratégicos.

Motivo da paralização

Durante uma assembleia realizada na noite de quarta-feira, 22, os trabalhadores da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) aprovaram uma paralisação de 24 horas para esta terça.

Ela tem como finalidade demonstrar a insatisfação da categoria sobre os planos e projetos do Governo de São Paulo em privatizar cinco linhas da CPTM e do Metrô.

Além disso, eles buscam uma melhoria na qualidade dos serviços prestados pelo transporte coletivo.

Interrupção de chamada Mapa do site