Interrupção de chamada

Foram 21 vitórias em 22 etapas na temporada 2023. Recordes foram quebrados, principalmente por Max Verstappen, marcas históricas ficaram para trás e os títulos da Red Bull vieram com antecedência neste ano na Fórmula 1. Por tudo isso, o chefe da equipe austríaca, Christian Horner, acredita que o modelo 2023 da Red Bull entrará para a história da categoria.

“Este carro vai entrar para os livros de história como muito, muito especial”. Vencer 21 corridas de 22… Só ficou faltando o GP de Cingapura, que nos permitiu fazer melhorias. Que ano!”, festejou Horner, um dia depois do encerramento de mais uma temporada da Fórmula 1.

+ Pérez recebe advertência após chamar comissários da F-1 de ‘piada’

O experiente dirigente agradeceu toda a equipe pelos feitos deste ano, que incluem os troféus do Mundial de Pilotos e do Mundial de Construtores. “Acho que, acima de tudo, precisamos agradecer a todos os homens e mulheres que atuam nos bastidores da fábrica, em todo o negócio. E também a todo o pessoal de suporte fez com que isto acontecesse. Eles desempenharam seu papel na fabricação e também na operação deste carro”, afirmou.

“Tivemos 22 circuitos diferentes. Vencemos em 21 deles. Houve chuva, vento, todos os tipos de condições e estratégias. Foi simplesmente o ano mais fenomenal e todos podem ter muito orgulho do que alcançaram”, completou.

Das 21 vitórias da Red Bull, duas foram obtidas por Verstappen, que se sagrou tricampeão mundial. O mexicano Sergio Pérez venceu duas e foi o vice do Mundial de Pilotos. Somente a Ferrari conseguiu desbancar a equipe austríaca, por uma vez, em Cingapura, com o espanhol Carlos Sainz Jr.

A série de triunfos quebrou recordes. Verstappen é o piloto que mais vitórias obteve em apenas uma temporada. E também detém a marca de melhor aproveitamento numa mesma temporada, com 86,36% de vitórias em etapas do mesmo campeonato, o maior porcentual da história da F-1.

Interrupção de chamada Mapa do site