Interrupção de chamada

Apesar do anúncio da Federação Internacional do Automobilismo (FIA) de que encerrou investigação, que teria o casal Toto e Susie Wolff como alvos, os dois dirigentes ligados à Fórmula 1 voltaram a criticar a federação nesta sexta-feira. Wolff, chefe da Mercedes, avisou que a equipe vai acionar a FIA na Justiça.

“Estamos iniciando uma questão judicial com a FIA. Nós esperamos transparência total sobre o que aconteceu e os motivos”, declarou Wolff, em comunicado da Mercedes. Sua esposa, Susie usou as redes sociais para usar palavras mais fortes em resposta às acusações que recaíram sobre o casal nos últimos dias.

+ FIA desiste de investigar chefe da Mercedes após posicionamento das equipes da F-1

“Quando eu vi o comunicado da FIA ontem, minha primeira reação foi: ‘É isso, então?’ Durante dois dias, insinuações foram feitas sobre a minha integridade em público e através de breves comunicados, mas ninguém da FIA veio falar diretamente comigo”, disse a ex-pilota, atual diretora da F-1 Academy, categoria totalmente voltada às mulheres e que integra parte do calendário da Fórmula 1.

Ela também pediu transparência no caso. “Até agora o episódio foi tratado sem nenhuma transparência e responsabilidade. Eu venho sofrendo abusos nas redes sociais em relação ao meu trabalho e à minha família. Não vou permitir que me intimidem e não vou parar até descobrir quem instigou essa campanha e acabou estimulando a mídia”, declarou.

Toto e Susie Wolff foram acusados indiretamente de trocarem informações privilegiadas nesta temporada, segundo comunicado inicial da FIA, no início da semana. A confusão começou na terça-feira, quando a entidade revelou estar investigando suposto caso de vazamento de informação do departamento comercial para um dirigente de equipe da F-1. O comunicado do departamento de compliance da federação não citava nomes, mas a imprensa europeia logo apontou Wolff como o principal suspeito de ser o investigado pela FIA.

Além de ser dirigente de equipe, no comando da Mercedes, Wolff é casado com Susie, que se reporta diretamente a Stefano Domenicali, chefão da categoria, e teria sido a pessoa responsável por vazar informações, na investigação da FIA.

A reação foi intensa na quarta-feira, especialmente entre as equipes, que se uniram para emitir comunicado em conjunto em defesa de Wolff. “Podemos confirmar que a McLaren Racing não fez nenhuma reclamação à FIA relacionada à alegada informação de natureza confidencial que teria sido transmitida entre um chefe de equipe da F-1 e um membro da equipe da FOM (entidade que gere a F-1)”, publicou a McLaren. O mesmo comunicado foi divulgado pelas demais oito equipes do grid.

Sob forte pressão dos times e da própria cúpula da F-1, a FIA veio a público na quinta para anunciar que tinha arquivado a investigação. Apesar da decisão, o casal Wolff informou nesta sexta que vai pedir esclarecimentos à entidade por via judicial.

Interrupção de chamada Mapa do site