Interrupção de chamada

Por Rafael Poci Déa

Ferry Porsche disse, ainda em 1989: “Se construirmos um carro off-road seguindo nossos padrões e exibindo o brasão da marca, as pessoas irão comprá-lo”. E estava certo: quando nasceu, em 2002, o Cayenne dividiu opiniões, mas depois tornou-se um sucesso. Preservou a dirigibilidade característica dos carros de Stuttgart, embora com mais luxo embarcado (o que fez dele um dos grandes responsáveis por salvar a Porsche da crise financeira). Nascido do projeto Colorado, em conjunto com a Volkswagen, – também deu origem ao Touareg – o SUV chega à geração E3.2 com três configurações a combustão já disponíveis no Brasil e quatro híbridas em pré-venda, com entregas daqui a quase um ano.

+ IPVA SP 2024 mais caro é de Porsche 918 Spyder, avaliado em R$ 14 milhões
+ A vida passa rápido num Porsche 911 Turbo S Cabriolet

Ao todo, são sete opções (SUV/Coupé), com potência entre 470 e impressionantes 739 cv. Nosso primeiro contato foi no Autódromo Velocitta (SP), em trechos rodoviários e off-road.

Além de ganhar novos motores, ele foi renovado por dentro e por fora. Chamam a atenção os faróis “LED Matrix” (múltiplos LEDs, inspirados nos do Taycan) e as mudanças nos para-lamas e no capô, que rejuvenesceram o SUV. Na traseira, destacam-se a lanterna tridimensional e o spoiler acima do vidro.

Mas é ao abrir a porta que o Cayenne mostra onde mais se aperfeiçoou. A cabine minimalista foca na experiência ao volante, com comandos no volante e próximos às mãos do condutor.

Como no Taycan, o seletor de marchas fica no painel, abrindo mais espaço no console central, e o cluster curvo e 100% digital tem 12,6” e visualização rápida.

Já a central multimídia tem 12,3”, e agora há uma tela para o carona (opcional). Para cuidar da saúde dos ocupantes, com base nos dados de navegação, o Cayenne ativa automaticamente a recirculação de ar antes de entrar em túneis.

Além disso, ele pode ter um sensor de partículas finas e fazer múltiplas filtragens, e um ionizador remove germes e poluentes.

Feito sobre a arquitetura MLB EVO, o Cayenne S Coupé tem 4,93 metros de comprimento e 2,90 de entre-eixos, permitindo que cinco ocupantes se acomodem confortavelmente, enquanro o porta-malas tem 554 litros.

As versões já disponíveis têm o consolidado 4.0 V8: no Coupé S avaliado são 474 cv e 600 Nm, com 0-100 km/h em 4,7 segundos (0-200 km/h em 18,3) e máxima de 273 km/h.

Mas nada se compara ao ronco magnífico do motor V8. Neste SUV-cupê, ele vem com injeção direta e os compressores colocados no centro do “V” do bloco, muito bem casado à transmissão de oito velocidades capaz de trocar as marchas em um piscar de olhos.

(Divulgação)
(Divulgação)
(Divulgação)

Desempenho

• O motor dianteiro remete aos antigos Porsche 924, 928, 944 e 968, assim como ao Panamera e ao Panamera Sport Turismo e ao “irmão” menor Macan; um ronco borbulhante dá o tom.

• Com relação peso-potência de 4,62 kg/cv, o Cayenne é um esportivo disfarçado de SUV familiar. Não nega fogo quando provocado e desconhece seus 2.190 kg ao serpentear formosamente nas curvas: há novos amortecedores, que ajudam (muito) no controle, inibem a rolagem e diminuem a transferência de carga.

• Ele muda bastante ao selecionar um dos modos de condução – bem definidos, eles transmitem um tempero extra, transformando a personalidade deste SUV-cupê.

• E quem quiser uma opção mais poderosa pode optar pelo Cayenne Turbo, com absurdos 659 cv e 850 Nm: 0-100 km/h em 3,3 segundos e máxima de 305 km/h. Mudado sem perder seu caráter, o Cayenne Coupé S mostra que um SUV pode ser muito intenso ao volante.

(Divulgação)

Porsche Cayenne Coupé S

Preço básico R$ 840.000
Carro avaliado R$ 857.339

Motor: oito cilindros em V 4.0, 32V, turbo, injeção direta, comando de válvulas com variação na admissão e no escape Combustível: gasolina
Potência: 474 cv a 6.000 rpm
Torque: 600 Nm de 2.000 a 5.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, conversor de torque, oito marchas
Direção: elétrica
Suspensões: multilink (d/t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: integral, sob demanda
Dimensões: 4,930 m (c), 1,983 m (l), 1,678 m (a)
Entre-eixos: 2,895 m
Pneus: 255/55 R20 (d) e 295/45 R20 (t)
Porta-malas: 554 a 1.502 litros
Peso: 2.190 kg
Tanque de combustível: 90 litros
0-100 km/h: 4,7 segundos
Velocidade máxima: 273 km/h
Consumo na cidade: 6,1 km/l
Consumo na estrada: 7,9 km/l
Emissão de CO2 204g/km
Consumo nota E
Nota do Inmetro: E
Classificação na categoria: E (Utilitário Esportivo Grande 4×4)

Interrupção de chamada Mapa do site