Interrupção de chamada

Por Rafael Poci Déa

Na década de 1990, o Grand Cherokee era sonho de consumo do brasileiro. Famoso entre celebridades e jogadores de futebol, a geração ZJ (1993-1998), na versão Limited, seduzia pela carroceria com linhas quadradas e detalhes dourados, pelo luxo embarcado e, principalmente, pelo motor V8 5.2 de 212 cv e quase 400 Nm. Esta unidade foi usada nas quatro últimas gerações do Jeep, mas, nesta quinta encarnação (WL), o clássico virou um híbrido plug-in. Com o sobrenome 4xe (como no Compass), ele é o mais luxuoso modelo da marca no Brasil, com números de desempenho expressivos, muito luxo e espaço – além de proporcionar um consumo de 19,3 km/l tanto na cidade quanto na estrada.

A nova geração do Jeep tem 4,914 metros de comprimento e 2,964 de entre-eixos, com preço sugerido de R$ 569.990 – ou seja, veio para brigar na mesma faixa de Volvo BMW X5 e Volvo XC60.

Apesar de ser maior que o Commander, o Grand Cherokee leva cinco passageiros, e não sete.

Obviamente, o pacote de itens de série é extenso:
• inclui oito airbags,
• teto panorâmico,
• bancos dianteiros com ajustes elétricos,
• memórias,
• aquecimento e resfriamento,
• carregador por indução,
• direção regulável eletricamente,
• ACC com função stop & go,
• e assistente de manutenção em faixa.

Além disso, há cluster de 10,25”, heap-up display de 10”, central multimídia de 10,1”, retrovisor digital com 11,8” e tela até para o carona (de 10,25”).

(Divulgação)
Há muito espaço na cabine e um porta-malas de 580 litros (Crédito:Divulgação)
Câmeras mostram tudo que acontece ao redor do SUV para evitar acidentes na cidade e raspadas no off-road, onde honra o nome da marca com um avançado sistema de tração 4×4. Abaixo da tela, comandos por botões tradicionais, essenciais ao sacolejar no uso off-road. (Crédito:Divulgação)

Powertrain

motor 2.0 turbo com injeção direta, família Hurricane, estreou na Ram Rampage, mas aqui está associado a dois propulsores elétricos para produzir números combinados de 380 cv e 637 Nm, permitindo ao utilitário esportivo atingir 100 km/h em 6,3 segundos – impressionante para o porte e peso de 2.466 quilos deste Grand Cherokee.

O câmbio é automático de oito marchas e, em nosso contato em trechos urbanos, o SUV mostrou-se extremamente silencioso, não só devido ao uso da eletricidade, mas também graças ao emprego de vidros acústicos e sistema de cancelamento de ruídos.

A calibração é típica de carro norte-americano: suspensões bastante macias que filtram e absorvem muito bem as imperfeições do asfalto ou da estrada de terra, enquanto a direção assistida eletricamente é rápida ao esterço.

Com 25,7o de ângulo de ataque e 26,6o de saída, além de uma altura em relação ao solo de ótimos 21,4 cm, o Grand Cherokee não toma conhecimento das lombadas ou valetas, enquanto as rodas aro 20 com pneus de perfil 50 ajudam a manter o conforto.

A tração é 4×4, mas, com baixa carga no pedal do acelerador, o motor traseiro é responsável pela propulsão – e o Jeep pode rodar até 29 quilômetros sem emissões. Embora não seja um carro de volume, este é um Jeep para subir no olimpo dos modelos da marca.

(Divulgação)
Acima, o comando giratório da transmissão, com o seletor de terreno bem ao lado, e as saídas de ar e muitas tomadas USB

Jeep Grand Cherokee 4xe

Preço básico R$ R$ 569.990
Carro avaliado R$ 569.990

Motores: dianteiro, quatro cilindros em linha 2.0, 16V, injeção direta, duplo comando de válvulas com variação na admissão e no escape + motor elétrico dianteiro + motor elétrico traseiro
Tipo: híbrido plug-in
Combustível: gasolina + eletricidade Potência: 272 cv a 5.250 rpm + 45 cv + 136 cv = 380 cv Torque: 400 Nm a 3.000 rpm + 53 Nm + 265 Nm = 637 Nm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e multilink (t)
Freios: discos ventilados (d) e discos sólidos (t)
Tração: 4xe AWD, com modos 4×4 permanente (Lock) e 4×4 Low (reduzida)
Dimensões: 4,914 m (c), 1,968 m (l), 1,799 m (a)
Entre-eixos: 2,964 m
Pneus: 265/50 R20
Porta-malas: 580 litros
Tanque: 72 litros
Peso: 2.466 kg
0-100 km/h: 6s3
Velocidade máxima: 206 km/h
Consumo na cidade: 19,3 km/l
Consumo na estrada: 19,3 km/l
Autonomia elétrica: 29 km (PBEV)
Emissão de CO2 158 g/km
Consumo nota A
Nota do Inmetro: A
Classificação na categoria: A (Fora de Estrada Grande)

Interrupção de chamada Mapa do site